Surpreenda-se com passeios inesquecíveis para quem tem alma aventureira e quer aproveitar a temporada de calor de um jeito diferente.

Você já se programou para este verão? Que tal trocar as praias por cachoeiras? Mas não qualquer uma: lugares inacreditáveis, que proporcionam contato com a natureza e cenários de grande beleza. E que estão perto o suficiente de locais com boa infraestrutura para receber os turistas mais exigentes.

Parque das Cachoeiras

Bonito (MS)

Cachoeira do Rio Salobra (Bruno Lenharo/Wikimedia Commons)

A cidade vale o passeio por uma série de motivos, todos ligados à natureza. Grutas, cavernas, rios e piscinas naturais de água doce estão por todo lugar. Cachoeiras também. Algumas são mais exigentes, e o acesso a elas demanda longas caminhadas em aclive. Não é o caso do Parque das Cachoeiras: o passeio ao longo do Rio Mimoso é acessível e passa por cavernas e piscinas naturais de grande beleza. No conjunto do passeio, o visitante ainda passa por seis cachoeiras.

Vale do Alcantilado

Resende (RJ)

Vale do Alcantilado (Marinelson Almeida/Flickr)

Mirantes, quedas e poços vão surgindo ao longo de um passeio de apenas 1,5 quilômetro. A atração fica no distrito de Visconde de Mauá, um antigo reduto hippie que não perdeu o charme e oferece uma ótima infraestrutura de hotéis, restaurantes e lanchonetes, inclusive nos arredores do Vale do Alcantilado. Nos feriados, a região fica lotada, mas são tantos os atrativos que sempre existem cachoeiras escondidas, também muito acessíveis.

Farofa

Santana do Riacho (MG)

Farofa (EduardoMSNeves/Wikimedia Commons)

Num parque como o da Serra do Cipó, cheio de trilhas difíceis e quedas d’água escondidas, essa é uma cachoeira relativamente acessível. O percurso é longo, 8 quilômetros, mas é plano, muito bem sinalizado e pode ser alcançado até mesmo com bicicletas, que podem ser alugadas na entrada do parque. O poço é um tanto gelado para os banhistas, mas a vista vale o passeio: são sete quedas consecutivas, que provocam um efeito visual impressionante.

Santo Isidro

São José do Barreiro (SP)

Santo Izidro (BiancaQ/Wikimedia Commons)

De todas as cachoeiras que o Parque Nacional da Serra da Bocaina oferece, essa é a mais fácil de alcançar – fica a apenas 20 minutos de caminhada. É também uma das mais bonitas. Além disso, conta com uma pequena praia, muito segura para quem quer se banhar. A infraestrutura hoteleira conta com boas opções de restaurantes, pousadas e hotéis pequenos. O acesso à região é fácil, especialmente para quem mora nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Buracão

Ibicoara (BA)

Buracão (Daniel Fucs/Flickr)

Uma hora de caminhada tranquila, terminando em uma ponte de madeira que passa entre paredões de cânions, e pronto: você encontra uma cachoeira que se estende por 80 metros. Resultado do encontro de três rios, ela proporciona outros atrativos no caminho, incluindo outras quedas d’água menores. Uma das maiores vantagens da cachoeira do Buracão é estar perto da melhor infraestrutura de hospedagem que a Chapada Diamantina tem a oferecer.

Caracol

Canela (RS)

Cachoeira do Caracol (José Carlos B Fialho/Wikimedia Commons/Conheça as dez cachoeiras mais bonitas do Brasil)

Procure por imagens da Serra Gaúcha e você certamente vai encontrar fotos dessa cachoeira. Para chegar até ela, é preciso caminhar 40 minutos por uma trilha. Mas existem outras formas de aproveitar a paisagem: o Parque Estadual do Caracol oferece mirantes, teleféricos e um elevador panorâmico que proporcionam diferentes – e impressionantes – pontos de vista da região.

Salto do Itiquira

Formosa (GO)

Salto do Itiquira (Diego Baravelli/Wikimedia Commons)

Piscinas naturais ótimas para banhistas, em uma trilha de 1,5 quilômetro e fácil acesso, levam até a queda de 168 metros. É a única cachoeira dessa lista cujo acesso se dá inteiramente por uma estrada pavimentada. O mais indicado é sair cedo para aproveitar bem esse e outros atrativos do parque, que fica a apenas 80 quilômetros do Distrito Federal. Aliás, é pela manhã que o sol bate sobre o Salto do Itiquira, formando vários arco-íris em seu poço.

Veloso

Ilhabela (SP)

Veloso (Italo Reis/Wikimedia Commons)

Por uma série de bons motivos, a cidade é uma das mais disputadas do litoral paulista durante o verão. As atrações de Ilhabela vão muito além das praias. Entre as diferentes trilhas disponíveis, a que começa na Praia do Veloso exige não mais do que 40 minutos de caminhada para passar por três diferentes quedas d’água. Se não quiser esticar demais o passeio, a primeira, a Cachoeira do Veloso, já vale o exercício: são 50 metros de queda.

Santa Bárbara

Augusto de Lima (MG)

Famílias inteiras aproveitam o escorregador natural, de 180 metros de altura, cercado por mata aberta e rios agradáveis, ótimo local para piqueniques. A região abriga uma excelente rede de hotéis, resorts e restaurantes e fica a apenas 90 quilômetros de Diamantina, no norte de Minas Gerais. Augusto de Lima oferece ainda um centro histórico vibrante, com feiras de comida e artesanato, e outros parques e quedas d’água nos arredores.

Tororó

Santa Maria (DF)

Tororó (Agência Brasília/Flickr)

Para quem mora ou está de passagem por Brasília, fica a apenas 35 quilômetros do centro. A queda tem 18 metros de altura e é bastante procurada não só por banhistas de todas as idades, mas também por praticantes de rapel. É preciso estacionar o carro a cerca de dois quilômetros do local, mas a caminhada é tranquila. Costuma ficar lotada nos fins de semana.

FONTE: ABRIL VIAGEM E TURISMO

(Visited 13 times, 1 visits today)